SUMÁRIO

Mensagem da Presidente da ABEn
Mensagem da Comissão Organizadora
Diretoria e Comissão Organizadora
Documento Síntese – Carta de Gramado
Trabalho dos palestrantes
Resumos



RESUMOS

A   B   C   D   E   F   G   H   I   J   K   L   M   N   O   P   Q   R   S   T   U   V   W   X   Y   Z   
Foram encontrados 605 trabalhos

1706
A ADEQUAÇÃO AO TRABALHO DOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM: UMA QUESTÃO DE ESCOLHA
0401
A ADERÊNCIA AO TRATAMENTO DOS PACIENTES IDOSOS HIPERTENSOS E/OU DIABÉTICOS: ESTRATÉGIAS PARA PROMOÇÃO E EDUCAÇÃO EM SAÚDE EM UMA UNIDADE DE SAÚDE DA FAMÍLIA
1149
A ADESÃO PELOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE ÀS CONDUTAS PROPOSTAS PARA O ATENDIMENTO DE INDIVÍDUOS INTOXICADOS.
2067
A ADMINISTRAÇÃO DO SERVIÇO DE ENFERMAGEM DA 3ª POLICLÍNICA-NITERÓI DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
1929
A ADOLESCENTE GRÁVIDA E SUA POSIÇÃO SOCIAL
0195
A ANOREXIA COMO UM PROBLEMA SOCIAL
1922
A ANSIEDADE VIVENCIADA PELO ALUNO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM EM SEU PRIMEIRO ESTÁGIO
0794
A APLICABILIDADE DA CONSULTA DE ENFERMAGEM NO SERVIÇO DE HEMODIÁLISE
1182
A ARTE COMO EXERCÍCIO ÉTICO E ESTÉTICO PARA COMPREENSÃO DO PROCESSO DE TRABALHO EM SAÚDE DA FAMÍLIA
0114
A ARTE COMO FORMA DE EXPRESSÃO INTERNA DO INDIVIDUO: UM DIALOGO REFLEXIVO
1815
A ARTE DE OBSERVAR: UM DESAFIO PARA A ENFERMAGEM
0047
A ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO CLIENTE LÚCIDO NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA
1653
A ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AOS CLIENTES PORTADORES DE ARTRITE REUMATÓIDE QUE FORMA SUBMETIDOS A ARTROPLASTIA TOTAL DE QUADRIL
2137
A ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM FRENTE AO CLIENTE DIABÉTICO
2304
A ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM PRESTADA À PARTURIENTE INSEGURA, RESPEITANDO A SUA CULTURA
2304
A ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM PRESTADA À PARTURIENTE INSEGURA, RESPEITANDO A SUA CULTURA
1595
A ASSISTÊNCIA EM SAÚDE MENTAL DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA EM BOTUCATU: CONCEITOS DOS PROFISSIONAIS SOBRE O TRANSTORNO MENTAL
0505
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM À CRIANÇA PORTADORA DE SÍNDROME NEFRÓTICA EM ÂMBITO HOSPITALAR
0625
A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM NA BUSCA DA QUALIDADE DE VIDA DOS ALCOOLISTAS: COMPREENDENDO OS CLIENTES DA STA COMO UM SUJEITO FÍSICO-SÓCIO-AFETIVO
1426
A ATUAÇÃO DA ENFERMEIRA NO CUIDADO À MULHER EM SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA SEXUAL.
0529
A ATUAÇÃO DA ENFERMEIRA NO CUIDADO À MULHER EM SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA SEXUAL.
0062
A ATUAÇÃO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM EM RELAÇÃO AO CÓDIGO DE ÉTICA DOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM EM UMA UNIDADE HOSPITALAR DO MUNICÍPIO DE NITERÓI
2139
A ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO COMO EDUCADOR PARA ADOLESCENTES E FAMILIARES EM PROCESSO DE REABILITAÇÃO NO CENTRO DO PREVENÇÃO AO USO E ABUSO DE ÁLCOOL E DROGAS - CEPUAD
1870
A ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA NUMA PERSPECTIVA DE EDUCAÇÃO PARA O EXERCÍCIO DA CIDADANIA
1482
A ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO EM SITUAÇÕES DE CATÁSTROFE INDRUSTRIAL: PLANO DE AUXÍLIO MÚTUO
0685
A AUTO-AVALIAÇÃO PARA O CURSO DE ENFERMAGEM DA UNICID: UMA PROPOSTA INCLUDENTE, CONTEXTUALIZADA E CENTRADA NAS PESSOAS
1721
A AUTONOMIA DO ENFERMEIRO: UMA REFLEXÃO SOCIAL
0006
A BACTERIOSCOPIA NA ROTINA DO EXAME GINECOLÓGICO DAS MULHERES ASSISTIDAS PELO PSF SILVIA REGINA, CAMPO GRANDE/MS
0147
A CIDADANIA CONQUISTADA: A VIVÊNCIA NA RESIDÊNCIA TERAPÊUTICA
0121
A CLASSIFICAÇÃO DE PRÁTICAS DE ENFERMAGEM EM SAÚDE COLETIVA - CIPESC COMO INSTRUMENTO DO PROCESSO DE TRABALHO DO ENFERMEIRO: UM RECORTE DO OBJETO A SER ABORDADO
2174
A COMPREENSÃO DA PATERNIDADE NA MATERNIDADE: UM RE-PENSAR DO FAZER NA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM OBSTÉTRICA
0381
A COMPREENSÃO DE UMA ESTRATÉGIA CURRICULAR E SUA AÇÃO INTERDISCIPLINAR
1876
A COMPREENSÃO DO PROCESSO DE GRAVIDEZ INDESEJADA E DA DECISÃO DE ABORTAR
0940
A COMPREENSÃO DO SIGNIFICADO DO SOFRIMENTO DO PACIENTE ONCOLÓGICO: NARRATIVAS DOS PROFISSIONAIS DA SAÚDE
1513
A COMUNICAÇÃO COMO NECESSIDADE INATA DO SER HUMANO NOS RELACIONAMENTOS INTERPESSOAIS
1051
A COMUNICAÇÃO COMO UM DOS FATORES DE AUXÍLIO AO PACIENTECIRÚRGICO NO PROCESSO DE TOMADA DE DECISÃO SOBRE A SUASAÚDE
1785
A COMUNICAÇÃO DE ENFERMEIRAS DE UMA EQUIPE DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA: REALIDADE OU DESEJO?
0827
A COMUNICAÇÃO NA OFICINA DOS CINCO SENTIDOS COM ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA
0964
A CONCEPÇÃO DAS MULHERES EM CLIMATÉRIO E MENOPAUSA EM RELAÇÃO À TERAPIA DE REPOSIÇÃO HORMONAL.
1133
A CONCEPÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA SAÚDE ACERCA DOS CONCEITOS DA ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOMICILIAR E SUA RELAÇÃO COM A PRÁTICA PROFISSIONAL
1987
A CONDUTA DO LÍDER RELIGIOSO FRENTE AO DESEJO SUICIDA
0546
A CONDUTA ÉTICA DOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM NO CENTRO CIRÚRGICO FRENTE AO PACIENTE SUBMETIDO À ANESTESIA GERAL¬
0468
A CONFORMAÇÃO DA PRÁTICA GERENCIAL DO ENFERMEIRO NO MUNICÍPIO DE ARARAQUARA – SP
0320
A CONSTRUÇÃO COLETIVA DE UM MODELO DO PROCESSO DE ENFERMAGEM PARA SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA
0848
A CONSTRUÇÃO DA REDE DE SAÚDE MENTAL DE DUQUE DE CAXIAS: UM CAMINHO POSSÍVEL PARA A DESINSTITUICIONALIZAÇÃO.
0726
A CONSTRUÇÃO DA RELAÇÃO DE AJUDA COM O CLIENTE HOSPITALIZADO
2208
A CONSTRUÇÃO DA SALA DE SITUAÇÃO DURANTE O ESTÁGIO CURRICULAR: UMA EXPERIÊNCIA DE SENSIBILIZAÇÃO
2062
A CONSTRUÇÃO DE UM NOVO MODELO DE ENSINO NA ÁREA DA ATENÇÃO INTEGRAL Á SAÚDE DA CRIANÇA: UM RELATO DAS VIVÊNCIAS E DESAFIOS DOS PROFESSORES
1009
A CONSTRUÇÃO DO COMPROMISSO ÉTICO NA FORMAÇÃO DOS ACADÊMICOS DO CURSO DE ENFERMAGEM DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA- UFSM
1033
A CONSTRUÇÃO DO PROTOCOLO MUNICIPAL DAS AÇÕES BÁSICAS DE SAÚDE: TRABALHANDO EM DEFESA DA VIDA
1674
A CONSULTA DE ENFERMAGEM AO ALCOOLISTA :UMA VISÃO DOS ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM
1179
A CONSULTA DE ENFERMAGEM DO PRÉ-NATAL DA FACULDADE DE ENFERMAGEM DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO – FENF/UERJ: MANUAL DE NORMAS E ROTINAS DE ATENDIMENTO.
1608
A CONSULTA DE ENFERMAGEM NA SAÚDE SEXUAL E REPRODUTIVA DA MULHER COM SUAS INTERFACES
0262
A CONSULTA DE ENFERMAGEM PEDIÁTRICA E O PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA INTEGRAL À CRIANÇA
1292
A CONSULTA PRÉ-OPERATÓRIA DIANTE DA TRANSIÇÃO DE SAÚDE E DOENÇA VIVENCIADA PELA CRIANÇA COM INDICAÇÃO CIRÚRGICA
0159
A CONTRIBUIÇÃO DA ARTE INDÍGENA NA CONSTRUÇÃO DO SABER DE ENFERMAGEM: UM ESTUDO DO SIGNIFICADO DA PINTURA CORPORAL NO RITUAL DE CURA DOS GUARANI DE SÃO PAULO
0779
A CONTRIBUIÇÃO DA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA NA ATENÇÃO INTEGRAL A SAÚDE DA CRIANÇA
1063
A CONTRIBUIÇÃO DO ESTÁGIO EXTRACURRICULAR PARA FORMAÇÃO DO ENFERMEIRO
0993
A CONTRIBUIÇÃO DO TRABALHO DO ENFERMEIRO DO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA (PSF) NA DETECÇÃO PRECOCE E PREVENÇÃO DO CÂNCER DE MAMA.THE CONTRIBUTION OF THE NURSE’S WORK AT FAMILY HEALTH PROGRAM (BRAZIL) FOR BREAST CANCER PREVENTION
2093
A CONTRIBUIÇÃO DOS EX-ALUNOS DE PÓS GRADUAÇÃO PARA OS ESTUDOS DE HISTÓRIA DA ENFERMAGEM: 1993-2003
1840
A CORAGEM DE SER E FAZER ENFERMAGEM NA PERSPECTIVA DA PEDAGOGIA SOCIAL DE RUA.
2257
A CRIAÇÃO DA MONITORIA DE ENFERMAGEM NA FAETEC/UPAS: UMA NECESSIDADE, UM SONHO, UMA CONQUISTA.
0738
A CRIANÇA HOSPITALIZADA COM IRA – A VISÃO DO RESPONSÁVEL ACERCA DA TRAJETÓRIA DA ASSISTÊNCIA PRESTADA
0652
A CRIANÇA HOSPITALIZADA: O BRINQUEDO E A ARTE TERAPIA COMO ESTRATÉGIAS PARA A HUMANIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA
1369
A CRIANÇA TRABALHANDO NO LIXÃO: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA
2012
A CRIATIVIDADE DA ENFERMAGEM NO PREPARO DA SALA DE CIRURGIA E NO CUIDADO À CRIANÇA/ADOLESCENTE QUEIMADO PARA O PROCEDIMENTO DE BALNEOTERAPIA NO CENTRO CIRÚRGICO
0094
A CULTURA DA PÍLULA E A ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM
0487
A DEPRESSÃO E O ENVELHECIMENTO: SAÍDAS CRIATIVAS PARA A QUALIDADE DE VIDA NA TERCEIRA IDADE: UM ESTUDO DE REVISÃO BIBLIOGRÁFICA
1709
A DIALOGICIDADE ENTRE A ENFERMAGEM E O CLIENTE PEDIÁTRICO COM CÂNCER E SUA FAMÍLIA
1303
A DIMENSÃO (BIO)ÉTICA DO SER ENFERMAGEM: MODO DE PENSAR, FAZER, ENSINAR E VIVER ENFERMAGEM
2051
A DIMENSÃO EDUCATIVA NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM: UM ESTUDO SOBRE A FORMAÇÃO INICIAL
2040
A DINÂMICA DA VIVÊNCIA DO FAMILIAR QUE ASSUME O CUIDADO DE UM PACIENTE INSULINO-REQUERENTE
1783
A DINÂMICA MASCULINA DO PLANEJAMENTO FAMILIAR
0489
A DIVERSIDADE DE ESTRATÉGIAS DE INCENTIVO À HUMANIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA
1408
A DIVULGAÇÃO DA INAUGURAÇÃO DA CASA DE PARTO ( RJ ) E A POLÊMICA DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM OBSTÉTRICA NA MÍDIA ESCRITA
0544
A DOR EM RECÉM – NASCIDOS: CONHECENDO SUA LINGUAGEM
0896
A DOR ONCOLÓGICA
0141
A EDUCAÇÃO DE LABORATÓRIO NO PROCESSO DE FORMAÇÃO DO ENFERMEIRO: EXPERIMENTANDO NOVOS CAMINHOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO PAPEL DE GESTOR.
1830
A EDUCAÇÃO EM SAÚDE COMO FORMA DE LIBERDADE E CIDADANIA JUNTO A TRABALHADORES EM RECICLAGEM DE LIXO URBANO
2142
A EDUCAÇÃO EM SAÚDE PREVENINDO DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS
0920
A EDUCAÇÃO EM SAÚDE PROMOVENDO AUTONOMIA: A EXPERIÊNCIA COM PESSOAS PORTADORAS DE CARDIOPATIA
0788
A EFICÁCIA DA CLOREXIDINA 0,5 NA PREVENÇÃO DE INFECÇÃO EM SÍTIO CIRÚRGICO: PACIENTES SUBMETIDOS À CIRURGIA DE COLUNA.
0809
A ENFERMAGEM A SAÚDE MENTAL E PSIQUIATRIA, ESTUDO DE CASO.
0916
A ENFERMAGEM ARTICULANDO INSTITUIÇÕES PARA CUIDAR DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES VITIMIZADOS PELO ABUSO E EXPLORAÇÃO SEXUAL
1836
A ENFERMAGEM COMO PROMOTORA DO CUIDADO NEGLIGENCIADO PELA FAMÍLIA DOENTE: DOIS CASOS VIVENCIADOS
1598
A ENFERMAGEM DESCOBRINDO A RADIOLOGIA
0084
A ENFERMAGEM DIANTE DE SITUAÇÕES ESPECIAIS EM PACIENTES CLÍNICO CIRÚRGICO
1236
A ENFERMAGEM E AS PRÁTICAS POPULARES DO CUIDADO COM O CORPO
1169
A ENFERMAGEM E O FAMILIAR CUIDADOR DE CRIANÇA EM TERAPIA ANTI-RETROVIRAL: MEDIAÇÕES DE PRÁTICAS DE CUIDADO MEDICAMENTOSO
0102
A ENFERMAGEM E O “PERIGO INVISÍVEL”
1796
A ENFERMAGEM FRENTE A MORTE E O LUTO
2334
A ENFERMAGEM FRENTE AOS DIREITOS DOS CLIENTES: INTERNAÇÃO PELO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS) OU POR CONVÊNIOS PRIVADOS, FAZ DIFERENÇA?
1805
A ENFERMAGEM HOJE NA PREVENÇÃO DO AMANHÃ; CÂNCER DE PELE
0759
A ENFERMAGEM HOSPITALAR BASEADA EM EVIDÊNCIA E EXPERIÊNCIA: A BUSCA DA QUALIDADE DO CUIDADO/CONFORTO NA PERSPECTIVA DO CLIENTE/PACIENTE.
0466
A ENFERMAGEM HUMANÍSTICA NA RELAÇÃO COM O SUJEITO PORTADOR DO HIV-AIDS E SUA FAMÍLIA
1546
A ENFERMAGEM NO CENTRO CIRÚRGICO DO INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER / HOSPITAL DO CÂNCER III E A PESSOA COM CÂNCER DE MAMA: UM CUIDADO ALÉM DA PRÁTICA
0248
A ENFERMAGEM NO CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR
0578
A ENFERMAGEM NO CUIDADO AO IDOSO:INVESTIGANDO A EFICÁCIA DO RELAXAMENTO COMO PRÁTICA NA PROMOÇÃO À SAÚDE.
1253
A ENFERMAGEM NO CUIDADO À CRIANÇA: IMPLICAÇÕES NO PROCESSO ASSISTENCIAL.
0275
A ENFERMAGEM NO CUIDADO DAS FAMÍLIAS COM UM DOS SEUS INTEGRANTES COM DOENÇA RENAL CRÔNICO
2033
A ENFERMAGEM NO RASTREAMENTO DA HIPERTENSÃO ARTERIAL EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES DE GOIÂNIA-GOIÁS
1484
A ENFERMAGEM VIVENCIANDO A EXPERIÊNCIA DO “CURSO DE GESTANTES” OBJETIVANDO COM ESTA AÇÃO A PREVENÇÃO E A PROMOÇÂO DA SAÚDE DE GESTANTES.
2107
A ENFERMEIRA ASSISTENCIAL E O PROCESSO DE DECISÃO
1360
A ENFERMEIRA JUNTO A GRUPOS DE GESTANTES: PRÁTICA EDUCATIVA QUE APONTA NECESSIDADES ASSISTENCIAIS NO CICLO GRAVÍDICO-PUERPERAL.
0263
A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O SEU PAPEL HUMANIZADOR NO CUIDADO AOS CLIENTES PEDIÁTRICOS ONCOLÓGICOS: UMA ABORDAGEM REFLEXIVA ACERCA DA ALTERIDADE E DA ESPIRITUALIDADE
1506
A EQUIPE DE SAÚDE E OS PAIS DE RECÉM-NASCIDOS INTERNADOS NA UTI NEONATAL
1394
A EQUIPE DE SAÚDE PERANTE O INDIVÍDUO PORTADOR DE NECESSIDADES ESPECIAIS
0681
A ESCOLA PRÁTICA DE ENFERMEIRAS DA CRUZ VERMELHA BRASILEIRA: SUA CONTRIBUIÇÃO NA CONSTRUÇÃO DA VISIBILIDADE NA IMPRENSA ESCRITA (1916-1917).
1538
A ESCOLA PROFISSIONAL DE ENFERMEIROS E ENFERMEIRAS E SUA REPERCUSSÃO NOS REGISTROS NOTICIOSOS DO JORNAL DO COMMERCIO, EM 1920
1132
A ESTRATÉGIA DA REABILITAÇÃO PSICOSSOCIAL NA CONCEPÇÃO E PRÁTICA DO ENFERMEIRO
0421
A EXCLUSÃO DA “MELHOR IDADE”: UMA QUESTÃO DE ASSISTÊNCIA A POPULAÇÃO
0176
A EXPERÊINCIA DO PROCESSO DE NASCIMENTO PARA UMA MULHER QUE DEU À LUZ EM UM HOSPITAL DE ENSINO DE UMA CIDADE DO INTERIOR DO RIO GRANDE DO SUL
2188
A EXPERIÊNCIA CIRÚRGICA SOB A ÓTICA DA FAMÍLIA
1888
A EXPERIÊNCIA DE ADOLESCER COM AIDS
0187
A EXPERIÊNCIA DE RECUPERAÇÃO PÓS HOSPITALIZAÇÃO DOS MOTO-BOYS ACIDENTADOS QUE ESTIVERAM INTERNADOS NO HPS DE PORTO ALEGRE
2241
A EXPERIÊNCIA DE SUBMETER-SE À REOPERAÇÃO DO CORAÇÃO: DISCURSOS DE PACIENTES
0816
A EXPERIÊNCIA DO ALUNO DE ENFERMAGEM EXTERNA AO CURSO DE GRADUAÇÃO – AVALIAÇÃO DO DOCENTE DE ENFERMAGEM
0250
A EXPERIÊNCIA DO CUIDADO HUMANÍSTICO TECNOLÓGICO NA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM CARDIOLOGIA INTERVENCIONISTA
1464
A EXPERIÊNCIA E OS DESAFIOS NO ENSINO DE MICROBIOLOGIA NO CONTEXTO DA NOVA PROPOSTA DE PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO EM CONSTRUÇÃO NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DA FESO
1260
A EXPERIÊNCIA NO GRUPO DOS DIABÉTICOS DO HUAP-UFF: UM “CLICK” NA NOSSA MENTE.
1791
A EXPERIÊNCIA SOCIAL DE PESSOAS INFECTADAS PELO HIV RELACIONADA AO TRATAMENTO ANTIRETROVIRAL
0170
A EXPRESSÃO CORPORAL DO PROFESSOR COMO INDUTORA DA APRENDIZAGEM: O CUIDADO NA SEMIOTÉCNICA
1700
A EXPRESSIVIDADE CORPORAL DO SER-MULHER/MÃE HIV POSITIVA FRENTE À PRIVAÇÃO DO ATO DE AMAMENTAR: A COMPREENSÃO DO SIGNIFICADO PELA ENFERMEIRA À LUZ DA TEORIA DA EXPRESSÃO DE MERLEAU-PONTY
0377
A FAMÍLIA COMO ESTRATÉGIA DE ADESÃO DE PACIENTE PORTADOR DE DOENÇA CRÔNICA AO TRATAMENTO PROPOSTO: UMA ABORDAGEM SISTÊMICA
1676
A FAMÍLIA COMO UNIDADE DE SERVIÇO EM UM PROGRAMA DE ATENÇÃO A SAÚDE DA COMUNIDADE – AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO USUÁRIO
0843
A FAMÍLIA DO PORTADOR DE SOFRIMENTO PSÍQUICO: “OLHARES DAS TEORIAS SOBRE A FAMÍLIA E A CONTRIBUIÇÃO DA ENFERMAGEM”
1431
A FEMINILIZAÇÃO DA EPIDEMIA DA AIDS: REFLEXÕES E DADOS PARCIAIS DE UMA PESQUISA EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO
0970
A FILOSOFIA DA ENFERMAGEM NA COMUNICAÇÃO PESSOAL E MARKETING
1049
A FÍSTULA ARTÉRIO-VENOSA E A SUA IMPORTÂNCIA PARA A HEMODIÁLISE
1869
A FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM DE NÍVEL MÉDIO:REFLETINDO A EDUCAÇÃO A PARTIR DE UM MODELO PEDAGÓGICO INOVADOR
1648
A FORMAÇÃO DE REDE COMO ESTRATÉGIA DO DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO: A EXPERIENCIA DO JARDIM FELICIDADE.
1891
A FORMAÇÃO DE TÉCNICOS EM ENFERMAGEM CRÍTICOS E CRIATIVOS: A INSERÇÃO DO ALUNO NOS PROJETOS DE AÇÃO COMUNITÁRIA COMO PROPOSTA DE REDIMENSIONAMENTO DA EDUCAÇÃO E ASSISTÊNCIA EM SAÚDE.
0090
A FORMAÇÃO DO ENFERMEIRO: TENDÊNCIAS GENERALISTAS E ESPECIALIZAÇÕES.
1205
A FORMAÇÃO DO PROFISSIONAL DE SAÚDE: REORGANIZANDO O CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM
0653
A FORMAÇÃO DOS ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM FRENTE AO CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR
1894
A FORMAÇÃO QUE TEMOS E A QUE QUEREMOS: DISCURSOS ACERCA DA FORMAÇÃO EM ENFERMAGEM
1298
A FUNÇÃO SOCIAL DOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM EXERCIDA EM UM CAPS
1697
A GRUPOTERAPIA COMO FERRAMENTA FACILITADORA NO TRATAMENTO DA OBESIDADE
1080
A HANSENÍASE E A PREVENÇÃO DE INCAPACIDADE FÍSICA NO MUNICÍPIO DE CASCAVEL
1831
A HUMANIZAÇÃO DO CUIDADO À CRIANÇA HOSPITALIZADA: PROPOSTA DA CIA DO RISO
1521
A HUMANIZAÇÃO DO CUIDADO EM PEDIATRIA: RESSIGNIFICANDO O PROGRAMA DE APOIO À FAMÍLIA DA CRIANÇA HOSPITALIZADA.
0402
A HUMANIZAÇÃO DO CUIDADO EM UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA
1548
A HUMANIZAÇÃO DO CUIDADO: REVISÃO BIBLIOGRÁFICA DE 1997 A 2003
1228
A HUMANIZAÇÃO NA ASSISTÊNCIA HOSPITALAR: DELINEANDO O PERFIL DOS TRABALHADORES DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DE SANTA MARIA - RS
0808
A HUMANIZAÇÃO NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA: SEGUNDO PERCEPÇAO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM DE NÍVEL MÉDIO
2277
A IMPLANTAÇÃO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO PARA TÉCNICOS DE ENFERMAGEM EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA
0670
A IMPLANTAÇÃO DO MODELO DE PRIMARY NURSING -RELATO DE EXPERIÊNCIA
0869
A IMPLEMENTAÇÃO DA CONSULTA DE ENFERMAGEM NO SERVIÇO DE RADIOTERAPIA
0171
A IMPORTANCIA DA MÃE NO CUIDADO HUMANIZADO AO BEBÊ PRÉ-TERMO
1156
A IMPORTÂNCIA DA ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL NO CONTROLE DA TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV/AIDS.
1965
A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO COM OS IDOSOS EM UMA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA: RELATO DE EXPERIÊNCIA
1662
A IMPORTÂNCIA DA CONSULTA DE ENFERMAGEM NA PREVENÇÃO E CONTROLE DA TUBERCULOSE
1329
A IMPORTÂNCIA DA CULTURA FAMILIAR NA PROMOÇÃO À SAÚDE: RELATO DE EXPERIENCIA EM VILA RURAL
1391
A IMPORTÂNCIA DA ENFERMAGEM NO DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DA LUXAÇÃO CONGÊNITA DO QUADRIL EM CRIANÇAS: EXPERIÊNCIA VIVENCIADA.
0244
A IMPORTÂNCIA DA INFORMAÇÂO SEXUAL PARA ADOLESCENTES
0098
A IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO DE ENFERMAGEM SOBRE HIGIENE ORAL NA INFÂNCIA PARA PRIMIGESTAS
1481
A IMPORTÂNCIA DA VACINAÇÃO ANTIGRIPAL NA PROMOÇÃO DA SAÚDE DO TRABALHADOR
0613
A IMPORTÂNCIA DAS AÇÕES DE ENFERMAGEM NA SITUAÇÃO VACINAL DE ESCOLARES – RELATO DE EXPERIÊNCIA
1763
A IMPORTÂNCIA DAS RELAÇÕES FAMILIARES NA REABILITAÇÃO SOCIAL DO OSTOMIZADO: ESTUDO DE CASO COM UM GRUPO DE PACIENTES.
0631
A IMPORTÂNCIA DO CITOPATOLÓGICO PARA A SAÚDE DA MULHER E PARA A ENFERMAGEM
0101
A IMPORTÂNCIA DO RELACIONAMENTO INTERPESSOAL NA FORMAÇÃO ACADÊMICA
1722
A INCIDENCIA DA AIDS EM PACIENTES COM DISTURBIO MENTAL NO MUNICIPIO DE CAMPOS DOS GOYTACAZES – RJ
1890
A INCLUSÃO DE FATORES MULTIDIMENSIONAIS NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DA DOR: UMA ABORDAGEM INTERDISCIPLINAR
0107
A INFECÇÃO URINÁRIA COMO FONTE DE INFECÇÃO HOSPITALAR
0113
A INFECÇÃO URINÁRIA COMO FONTE DE INFECÇÃO HOSPITALAR NA FUNDAÇÃO HOSPITAL DE CLINICAS GASPAR VIANA EM BELÉM – PA
0355
A INFERTILIDADE E AS EXPECTATIVAS FUTURAS DAS MULHERES QUE VIVENCIAM ESSA SITUAÇÃO FACE ÀS POSSÍVEIS ALTERNATIVAS DE SOLUÇÃO
0093
A INFLUÊNCIA AMBIENTAL COMO FATOR DE RISCO PARA A REPRODUÇÃO
1639
A INFLUÊNCIA DA GRAVIDEZ PRECOCE NO ALEITAMENTO MATERNO
2024
A INFLUÊNCIA DA PRESENÇA DOS ACOMPANHANTES DE PACIENTES CARDIOPATAS NO COTIDIANO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM
1687
A INFLUÊNCIA DA TERCEIRIZAÇÃO NO PROCESSO DE CUIDAR EM ENFERMAGEM
0222
A INFLUÊNCIA DE UM GRUPO DE ATENÇÃO AO IDOSO EM SEU ESTILO DE VIDA
0362
A INFLUÊNCIA DE UM GRUPO DE ATENÇÃO AO IDOSO EM SEU ESTILO DE VIDA
1430
A INFLUÊNCIA DO ACOMPANHANTE FRENTE A ATUAÇÃO PRÁTICA DO ACADÊMICO DE ENFERMAGEM
1498
A INFLUÊNCIA DOS FATORES SÓCIO-CULTURAIS NA PERCEPÇÃO DA MULHER BRASILEIRA ACERCA DA ASSISTÊNCIA NO CICLO GRAVÍDICO-PUERPERAL – NOTA PRÉVIA
0541
A INICIATIVA DO HOSPITAL AMIGO DA CRIANÇA (IHAC) E A DECISÃO DA MULHER DE AMAMENTAR
0270
A INSERÇÃO DA ENFERMAGEM MODERNA EM ALAGOAS: OS BASTIDORES DE UMA CONQUISTA
1142
A INSERÇÃO DA ENFERMAGEM MODERNA EM ALAGOAS: OS BASTIDORES DE UMA CONQUISTA
2160
A INSERÇÃO DA ENFERMEIRA NA OFERTA DE SERVIÇOS DE SAÚDE À MULHER: UM RE-TRATO EM NITERÓI
0319
A INSERÇÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA GESTÃO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE
1565
A INSERÇÃO DO ENFERMEIRO E DO AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE NO TRATAMENTO SUPERVISIONADO AOS PACIENTES DE TUBERCULOSE EM FEIRA DE SANTANA
1640
A INSERÇÃO DO ENFERMEIRO NO PROCESSO DE HUMANIZAÇÃO DO AMBIENTE HOSPITALAR
1445
A INSERÇÃO DO PROFISSIONAL ENFERMEIRO NO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA
1628
A INSTITUCIONALIZAÇÃO DA MORTE
1579
A INTEGRALIDADE : AS NECESSIDADES DA ENFERMAGEM NO AGIR DO PROCESSO DE SAÚDE-DOENÇA.
1643
A INTEGRALIDADE DO CUIDADO: AS NECESSIDADES DA ENFERMAGEM NO AGIR DO PROCESSO DE SAÚDE-DOENÇA.
0194
A INTENÇÃO E O GESTO: AÇÕES GERENCIAIS DE ENFERMEIROS EM ESPAÇOS HOSPITALARES.
0139
A INTERAÇÃO COM FAMILIARES DE PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA: BASE PARA PRÁTICA EDUCATIVA EM ENFERMAGEM
1040
A INTERDISCIPLINARIDADE NA REESTRUTURAÇÃO CURRICULAR: RELATO DE EXPERIÊNCIA
1928
A INTERDISCIPLINARIDADE NO PRIMEIRO PERÍODO DE UM CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM:PESQUISA-AÇÃO - FASE EXPLORATÓRIA.
1992
A INTERNAÇÃO DO CLIENTE EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA: UM MOMENTO DE CRISE PARA A FAMÍLIA E SUA RELAÇÃO COM OS PROCESSOS DE ADOECER, CUIDAR, MORRER E MORTE.
1781
A INTERSETORIALIDADE NO CONTEXTO DA EQUIPE DE SAÚDE DA FAMÍLIA NA VISÃO DE COORDENADORES DO PSF
0991
A INTERVENÇÃO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM FRENTE À VIOLÊNCIA FAMILIAR
0339
A LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA NO ESTADO DO PARÁ: PECULIARIDADES, CONTROLE, PREVENÇÃO E RESULTADOS ALCANÇADOS.
1168
A LINGUAGEM VIRTUAL COMO RECURSO PEDAGÓGICO: O EQUILÍBRIO QUE NÃO DEVE SER PERDIDO
0224
A MARCA DA COMPLEXIDADE E DA (IM)PREVISIBILIDADE NO DIA-A-DIA DAS ENFERMEIRAS QUE ATUAM NA TERAPIA INTENSIVA PEDIÁTRICA: UM ENSAIO SOBRE A SUA FORMAÇÃO.
0584
A MEMÓRIA DE LUCI MOBÍLIO GOMES PINTO NA DIREÇÃO DA ESCOLA DE ENFERMAGEM ALFREDO PINTO (1990-1992)
1632
A MEMÓRIA DE LUCI MOBÍLIO GOMES PINTOCOMO CONTRIBUIÇÃO PARA AHISTÓRIA DA ESCOLA DE ENFERMAGEM ALFREDO PINTO
2318
A MISÃO DA ENFERMEIRA FRENTE A PRESERVAÇÃO, MANUTENÇÃO E REPADRONIZAÇÃO DO CUIDADO À LUZ DA TEORIA CULTURAL DE MADELEINE LEININGER
2129
A MONITORAÇÃO DO PACIENTE NO PERÍODO TRANS-OPERATÓRIO: A ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM SOB A ÓTICA DA HUMANIZAÇÃO.
0574
A MONITORIA ACADÊMICA PREPARA O ESTUDANTE PARA A DOCÊNCIA?
2301
A MORTALIDADE INFANTIL E AS PROPOSTAS DE INTERVENÇÃO PARA A DIMINUIÇÃO DOS ÍNDICES.
2301
A MORTALIDADE INFANTIL E AS PROPOSTAS DE INTERVENÇÃO PARA A DIMINUIÇÃO DOS ÍNDICES.
1207
A MORTALIDADE MATERNA EM SANTA CATARINA NO PERÍODO DE 1996 A 2002.
1820
A MORTE E O MORRER NO CONTEXTO SÓCIO-CULTURAL DOS SERES HUMANOS: UMA REVISÃO DE LITERATURA
0591
A MOTIVAÇÃO COMO ELEMENTO ESSENCIAL PARA A EQUIPE DE ENFERMAGEM
2123
A MULHER E O TABAGISMO: ASPECTOS DO CONSUMO E DEPENDÊNCIA ENTRE UM GRUPO DE MULHERES DO RIO DE JANEIRO
0200
A MULHER GESTANTE/MERCADO DE TRABALHO: O SIGNIFICADO DO LUGAR OCUPADO POR ESTA, NESTE ESPAÇO
1485
A MÚSICA NA PRODUÇÃO DE SUBJETIVIDADES: UM MODO DE FAZERENFERMAGEM.
1067
A MÚSICA NO AMBIENTE DO CUIDADO HUMANO DE ENFERMAGEM HOSPITALAR
2010
A NÃO REALIZAÇÃO DE PRESCRIÇÕES DE ENFERMAGEM:MOTIVOS E ESTRATÉGIAS PARA SUA IMPLANTAÇÃO
0314
A NECESSIDADE DE ORIENTAÇÕES AO FAMILIAR/CUIDADOR FRENTE A PRESTAÇÃO DE CUIDADO AO FAMILIAR ACAMADO: PROPOSTA DE ORIENTAÇÃO AO CUIDADOR
1372
A NECESSIDADE DE UMA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL INTEGRADA PARA O SUCESSO NO TRATAMENTO DA DEPENDÊNCIA QUÍMICA NOS CENTROS DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL - ÁLCOOL E DROGAS (CAPS-AD)
1356
A OPÇÃO PELO PARTO CESÁREO
1454
A OPINIÃO DE PROFISSIONAIS DE SAÚDE E PESSOAS HOSPITALIZADAS SOBRE A PERMANÊNCIA DE ACOMPANHANTE - FAMILIAR NA INTERNAÇÃO HOSPITALAR NO HU/UFSC
2220
A OPINIÃO DOS PAIS ACERCA DA ABORDAGEM REALIZADA PELA EQUIPE DE SAÚDE - INTERFERE OU NÃO NA ACEITAÇÃO DA CRIANÇA HOSPITALIZADA AO TRATAMENTO?
2176
A OPINIÃO DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE ACERCA DA ABORDAGEM REALIZADA - INTERFERE OU NÃO NA ACEITAÇÃO DA CRIANÇA HOSPITALIZADA AO TRATAMENTO?
1909
A OPINIÃO DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE SOBRE A DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS
0514
A OPINIÃO DOS TRABALHADORES DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO SOBRE A ORIGEM DO HIV/AIDS
0446
A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO DA(O) ENFERMEIRA(O) EM UNIDADE DE EMERGÊNCIA
0872
A ÓTICA DOS DOCENTES DE ENFERMAGEM FRENTE À SITUAÇÕES DE MORTE/MORRER
2283
A PARTICIPAÇAO DO ACADEMICO DE ENFERMAGEM NA IMPLANTAÇAO DO PSF COMO UMA VIVENCIA ESSENCIAL PARA SUA FORMAÇAO.
2226
A PARTICIPAÇÃO DA FAMÍLIA NO CUIDADO À CRIANÇA NO HOSPITAL
1037
A PARTICIPAÇÃO DE ALUNOS NA REDE ELETRÔNICA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO- REPAT
0787
A PARTICIPAÇÃO DO HOMEM/PAI NO PRÉ-NATAL
2314
A PARTICIPAÇÃO DO PAI NO PROCESSO PARTURITIVO: CONTRIBUIÇÃO PARA A ENFERMAGEM
0436
A PARTICIPAÇÃO DO USUÁRIO NA COMISSÃO LOCAL DE SAÚDE DA UNIDADE BÁSICA E DISTRITAL DE SAÚDE DA VILA VIRGÍNIA – RIBEIRÃO PRETO-SP: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA
0812
A PARTICIPAÇÃO DOS ALUNOS DE GRADUAÇÃO NO NÚCLEO DE PESQUISA DE HISTÓRIA DA ENFERMAGEM BRASILEIRA DA EEAN/UFRJ: 1993-2003.
0534
A PASSAGEM DE PLANTÃO NO CONTEXTO DO PROCESSO DE TRABALHO DA ENFERMAGEM
0012
A PASTORAL DA CRIANÇA E A ENFERMAGEM UNIDAS EM PROL DA SAÚDE INFANTIL
0786
A PERCEP??O DA MULHER SOBRE A PARTICIPA??O DO HOMEM/COMPANHEIRO NO PRÉ-NATAL
1975
A PERCEPÇÃO DA ENFERMAGEM DIANTE DA DOR EM FRATURA DE MEMBRO INFERIOR
1319
A PERCEPÇÃO DA ENFERMAGEM NO CUIDADO À FAMÍLIA: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO.
0950
A PERCEPÇÃO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM ACERCA DOS PRINCIPAIS CONFLITOS VIVENCIADOS ENTRE AS DIFERENTES CATEGORIAS DE ENFERMAGEM
2227
A PERCEPÇÃO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM EM RELAÇÃO AO PAI ENQUANTO CUIDADOR DE SEU FILHO INTERNADO
0768
A PERCEPÇÃO DE ACADÊMICAS SOBRE A IMPORTÂNCIA DA ENFERMAGEM NA PREVENÇÃO DO CÂNCER DO COLO DO ÚTERO – RELATO DE EXPERIÊNCIA
1486
A PERCEPÇÃO DE ALUNOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DA UNISA SOBRE A DINÂMICA DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE EM UNIDADES DE SAÚDE DA REGIÃO SUL DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO.
2178
A PERCEPÇÃO DE SAÚDE DE CRIANÇAS ESCOLARES COMO EIXO DE CONSTRUÇÃO DE UM PROCESSO CUIDATIVO-EDUCATIVO EM ENFERMAGEM, NUM BAIRRO PERIFÉRICO DE FLORIANÓPOLIS.
1593
A PERCEPÇÃO DE UMA EQUIPE DE ENFERMAGEM SOBRE O PROCESSO DE MORRER: A SENSIBILIZAÇÃO PARA UMA ASSISTÊNCIA INDIVIDUALIZADA AO PACIENTE EM ESTÁGIO TERMINAL.
0978
A PERCEPÇÃO DO CUIDADOR SENDO CUIDADO
2084
A PERCEPÇÃO DO ENFERMEIRO SOBRE A HUMANIZAÇÃO HOSPITALAREM UM HOSPITAL PEDIÁTRICO.
1810
A PERCEPÇÃO DO ENVELHECIMENTO DE MULHERES IDOSAS URBANAS, UM CENÁRIO AINDA DE PERDAS
0908
A PERCEPÇÃO DO PACIENTE ONCOLÓGICO FRENTE À SUA PATOLOGIA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA
0447
A PERCEPÇÃO DO PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM QUANTO ÀS INFLUÊNCIAS DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO EM SUA VIDA PESSOAL
1225
A PERCEPÇÃO DO SOM NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA
0351
A PERCEPÇÃO DOCENTE DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM SOBRE O CLIENTE IDOSO COM DOENÇA DE ALZHEIMER
2183
A PERCEPÇÃO DOS DISCENTES ACERCA DO ENSINO DA ESTRATÉGIA AIDPI NA DISCIPLINA ENFERMAGEM SAÚDE DA CRIANÇA UFJF.
0527
A PERCEPÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM SOBRE A LIDERANÇA DO ENFERMEIRO
0692
A PERCEPÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE NA QUIMIOPROFILAXIA DAS MENINGITES
0453
A PERCEPÇÃO E AS PRÁTICAS DE CUIDADOS DOS USUÁRIOS DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE FRENTE À DOR
2021
A PERCEPÇÃO SOBRE A FUNÇÃO DA DOR PARA A EQUIPE DE ENFERMAGEM: SIGNIFICADOS ALÉM DO CARÁTER FISIOLÓGICO
1630
A PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR: POR QUE VOCÊ NÃO DOA SANGUE?
0097
A PERSPECTIVA DO ENSINO DO CUIDAR EM ENFERMAGEM SEGUNDO A VISÃO DO ALUNO DE GRADUAÇÃO
1451
A POLÍTICA DE SAÚDE E O TRABALHO VIVO EM ATO DOS ENFERMEIROS
0122
A POSIÇÃO E O PAPEL ATRIBUÍDO PELAS LÍDERES DE ENFERMAGEM À ENFERMEIRA-CHEFE EM MEADOS DO SÉCULO XX.
176-
A PRÁTICA ASSISTENCIAL DO ENFERMEIRO EM CENTRO DE TERAPIA INTENSIVA-ADULTO: UMA REFLEXÃO ACERCA DO SEU PAPEL ENQUANTO EDUCADOR1
0318
A PRÁTICA DA AUTOMEDICAÇÃO ENTRE ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM
2098
A PRÁTICA DA ENFERMEIRA E O GERENCIAMENTO DE NOVAS TECNOLOGIAS EM CENTRO CIRÚRGICO
1076
A PRÁTICA DE ESTÁGIO CURRICULAR DA DISCIPLINA ENFERMAGEM EM SAÚDE PÚBLICA I – UM MODO DE APRENDER ENFERMAGEM
0931
A PRÁTICA DO CASTIGO FÍSICO COMO AÇÃO EDUCATIVA: RELATO DOS PAIS
0332
A PRÁTICA EDUCATIVA EM SAÚDE NO CONTEXTO DA ENFERMAGEM PEDIÁTRICA: UM PROCESSO EM CONSTRUÇÃO
2172
A PRÁTICA PEDAGÓGICA NOS CURSOS DE AUXILIAR DE ENFERMAGEM DO PROFAE, NA PERSPECTIVA DAS ENFERMEIRAS/DOCENTES
1452
A PRÁTICA SANITÁRIA DO ENFERMEIRO NA DOENÇA CARDIOVASCULAR HIPERTENSIVA
1983
A PRESSÃO ARTERIAL EM ALUNOS DO PERÍODO NOTURNO: SUA PREVALÊNCIA E ASSOCIAÇAO COM ESTILO DE VIDA
2013
A PREVALÊNCIA DE HIPERTENSÃO ARTERIAL EM CAMINHONEIROSOLIVEIRA, JADERSON AFONSO
1250
A PREVALÊNCIA DO TABAGISMO E ALGUNS FATORES DE RISCO EM ESCOLARES DE FLORIANÓPOLIS – SC
0595
A PREVENÇÃO DA HANSENÍASE: VIVÊNCIAS EM FEIRAS DE SAÚDE QUE CONTRIBUEM PARA A EDUCAÇÃO E SUSPEIÇÃO DA DOENÇA.
0472
A PRODUÇÃO DE CIÊNCIA NO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CLEMENTINO FRAGA FILHO: A TRAJETÓRIA DO NÚCLEO DE ESTUDOS DA DIVISÃO DE ENFERMAGEM.
1453
A PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO NA ENFERMAGEM SOBRE O FENÔMENO DROGAS
2027
A PRODUÇÃO DO SABER ACADÊMICO DA ENFERMAGEM EM SAÚDE DA MULHER EM DADOS: PERÍODO 1975 A 2001
0823
A PROMOÇÃO DA SAÚDE AMBIENTAL: UMA NOVA FORMA DE SE FAZER ENFERMAGEM HOJE
0924
A PROPOSTA PEDAGÓGICA SENAC - RIO: ESTRATÉGIA EDUCACIONAL PARA O NOVO OFÍCIO.
0627
A QUALIDADE DO ENSINO-APRENDIZAGEM EM SEMIOLOGIA A PARTIR DO EMPREGO DA MULTIMÍDIA INTERATIVA E DA SUA APLICAÇÃO EM SEMIOTÉCNICA II EM ENFERMAGEM
2173
A RÁDIO COMUNITÁRIA NA ESTRATÉGIA DO ENFERMEIRO PARA EDUCAÇÃO EM SAÚDE
0682
A REABILITAÇÃO NO CÂNCER DE MAMA: RELATO DE CASO
1872
A REALIDADE DA ANTI-SEPSIA CIRÚRGICA DAS MÃOS EM HOSPITAIS DE GRANDE PORTE
2295
A REALIDADE SOBRE TIPOS DE PARTOS EM ADOLESCENTES EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO
1685
A RECAÍDA NA DEPENDÊNCIA QUÍMICA
2269
A RECONFIGURAÇÃO DO MOVIMENTO ASSOCIATIVO DAS ENFERMEIRAS BRASILEIRAS NO CONTEXTO DO NEOLIBERALISMO PERÍODO 1990 – 2000.
1555
A REFLEXÃO ÉTICA ACERCA DOS DIREITOS DO TRABALHADOR E DO CLIENTE COMO POSSIBILIDADE DE MELHORIA NA QUALIDADE DA ASSISTÊNCIA
0922
A RELAÇÃO DA CAPACITAÇÃO COM A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO NA VISÃO DE AUXILIAR E TÉCNICO DE ENFERMAGEM DE UM HOSPITAL DE GRANDE PORTE.
2159
A RELAÇÃO DE AJUDA NA UNIDADE DE INTERNAÇÃO HOSPITALAR: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DE ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM
1905
A RELAÇÃO DIALÓGICA ENTRE A ENFERMEIRA E A CRIANÇA SUBMETIDA A PROCEDIMENTOS INVASIVOS E/OU DOLOROSOS.
0197
A RELAÇÃO ENTRE DOR NO PEITO E HIPERTENSÃO EM PACIENTES ATENDIDOS NO PRONTO – SOCORRO
0936
A RELAÇÃO ENTRE RISCOS AMBIENTAIS E A SITUAÇÃO DE SAÚDE DE UMA COMUNIDADE DA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO
0803
A RELAÇÃO INTERPESSOAL ENTRE O PROFISSIONAL DA SAÚDE E O USUÁRIO: UMA REVISÃO CONCEITUAL
1208
A RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM: REVELANDO AS ESTRATÉGIAS DE ENSINO-APREDIZAGEM
1780
A RELEVÂNCIA DO APOIO EMOCIONAL DA FAMÍLIA E DO ACADÊMICO DE ENFERMAGEM AO PORTADOR DE SEQÜELAS DE AVC
0432
A RELIGIÃO E A EXPERIÊNCIA DO SOFRIMENTO PSÍQUICO: ESCUTANDO A FAMÍLIA
2245
A REPERCUSSÃO DA INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA NA QUALIDADE DE VIDA DE UM PACIENTE EM HEMODIÁLISE
0283
A REPRESENTAÇÃO DA HIPERTENSÃO ARTERIAL PARA USUÁRIOS DO PROGRAMA DE HIPERTENSOS
0770
A REPRESENTAÇÃO DO TOQUE COMO FORMA DE EXPRESSAR A AFETIVIDADE, NA HUMANIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE HOSPITALIZADO.
1469
A REPRESENTAÇÃO SOCIAL DA DEPENDÊNCIA QUÍMICA: UM ESTUDO COM ALUNOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM.
1821
A REPRESENTAÇÃO SOCIAL DAS MÃES SOBRE A CRECHE: O FORMAL, O AFETIVO E O NECESSÁRIO.
1083
A RESIDÊNCIA DE ENFERMAGEM E A QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL DO ENFERMEIRO
0511
A RESILIÊNCIA COMO OBJETO DE INVESTIGAÇÃO NA ENFERMAGEM
2202
A ROTATIVIDADE DO PESSOAL DE ENFERMAGEM EM UM HOSPITAL-ESCOLA: UMA QUESTÃO A SER ESTUDADA
1664
A SAÚDE COMO DIREITO: O EXAME PREVENTIVO DE CÂNCER DE COLO UTERINO SOB O OLHAR DA FALTOSA
1677
A SAÚDE DO ADOLESCENTE NO CONTEXTO FAMILIAR
2213
A SAÚDE DO ADOLESCENTE: UM ESTUDO SOBRE A SEXUALIDADE NA ADOLESCÊNCIA
1463
A SAÚDE DO TRABALHADOR DE ENFERMAGEM NO PROCESSO DE TRABALHO.
1463
A SAÚDE DO TRABALHADOR DE ENFERMAGEM NO PROCESSO DE TRABALHO.
0292
A SAÚDE DOS TRABALHADORES DE ENFERMAGEM EM CENTRO CIRÚRGICO
1588
A SAÚDE MENTAL E SUAS POLÍTICAS
1788
A SAÚDE MENTAL NO CONTEXTO DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA (PSF): DESAFIO PARA A EQUIPE DE SAÚDE
1686
A SENSIBILIZAÇÃO DO ACADÊMICO DE ENFERMAGEM PARA A IMPORTÂNCIA DO CUIDADO DA MULHER NO CLIMATÉRIO – RELATO DE EXPERIÊNCIA
2250
A SEXUALIDADE DA MULHER VÍTIMA DE VIOLÊNCIA SEXUAL: VISANDO À RETOMADA DE UMA VIDA SEXUAL PRAZEROSA
1300
A SEXUALIDADE DAS MULHERES CLIMATÉRICAS
1528
A SEXUALIDADE E A ESCOLA - A PERCEPÇÃO DOCENTE
1718
A SEXUALIDADE E A ESCOLA - A PERCEPÇÃO DOCENTE KEITY FRANCIELE FARIA1
0785
A SEXUALIDADE E O PRECONCEITO FRENTE À QUESTÃO DA HOMOSSEXUALIDADE.
0942
A SEXUALIDADE ENTRE AS ACADÊMICAS DE ENFERMAGEM: ENFOQUE NO PLANEJAMENTO FAMILIAR E PREVENÇÃO DE DST/AIDS.
0079
A SEXUALIDADE NA CONCEPÇÃO DE JOVENS: BASES PARA O CUIDADO DE ENFERMAGEM .
1981
A SEXUALIDADE NO/A IDOSO/A E O PAPEL DOS/AS ENFERMEIROS/AS COMO AGENTES DO CUIDADO
1822
A SISTEMATIZAÇÃO DE ENFERMAGEM IMPLEMENTADA A UM RECÉM- NASCIDO PORTADOR DE ENTEROCOLITE NECROTIZANTE E SUA FAMÍLIA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA
0579
A TEORIA DE DESENVOLVIMENTO DAS FAMÍLIAS E SUAS IMPLICAÇÕES PARA A SAÚDE DA FAMÍLIAL.
1461
A TEORIA E A PRÁTICA DO ENSINO DE DIMENSIONAMENTO DE PESSOAL DE ENFERMAGEM EM CURSO DE GRADUAÇÃO
2140
A TEORIA TRANSPESSOAL DE WATSON ILUMINANDO O ENCONTRO DE CUIDADO ENFERMEIRO-FAMILIA
1157
A TÉCNICA DE JURI SIMULADO: UMA ABORDAGEM PARA REFLEXÃO DO CUIDAR NO ENSINO DE ENFERMAGEM
2044
A TÉCNOLOGIA E A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO EM UTI
0906
A TOMADA DE DECISÃO: UMA ESTRATÉGIA CONTRA O USO DE DROGAS NA ADOLESCÊNCIA
0766
A TRANSCENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO CONTINUADA NA ENFERMAGEM MANIFESTADA EM PERIÓDICOS DE ENFERMAGEM
1670
A UNIVERSIDADE NO SÉCULO XXI E A FORMAÇÃO DO PROFISSIONAL ENFERMEIRO
1388
A UTILIZAÇÃO DA ABORDAGEM ETNOMETODOLÓGICA NAS PESQUISAS DE ENFERMAGEM
1657
A UTILIZAÇÃO DA SUCATA PELOS ALUNOS DO CURSO TÉCNICO EM SAÚDE: HABILITAÇÃO EM ENFERMAGEM COMO INSTRUMENTO DE APRENDIZAGEM DAS TÉCNICAS DE ENFERMAGEM EM PACIENTE GRAVE E EM SITUAÇÃO DE RISCO
1713
A UTILIZAÇÃO DE DINÂMICAS COMO PERSPECTIVA DE CUIDADO ÀSFAMÍLIAS DE CRIANÇAS COM DIAGNÓSTICO DE CÂNCER
1767
A UTILIZAÇÃO DE HOMEOPATIA E FLORAIS EM PARTICIPANTES DO NÚCLEO DE OSTOMIZADOS DE CASCAVEL - PR
1197
A UTILIZAÇÃO DO BRINCAR/BRINQUEDO EM SALA DE ESPERA DE UM AMBULATÓRIO INFANTIL: EXPERIÊNCIAS DA CRIANÇA E ACOMPANHANTE
0326
A UTILIZAÇÃO DO LÚDICO EM UM PROCESSO REFLEXIVO COM MULHERES: RELATO DE EXPERIÊNCIA
1335
A UTILIZAÇÃO DO LÚDICO EM UM PROCESSO REFLEXIVO COM MULHERES: RELATO DE EXPERIÊNCIA
0001
A UTILIZAÇÃO DO SISTEMA APACHE NA DETERMINAÇÃO DA SEVERIDADE DO COMPROMETIMENTO DA SAÚDE DE PACIENTES INTERNADOS EM CENTRO DE TERAPIA INTENSIVA
1092
A VENTILAÇÃO MECÂNICA INVASIVA E A INTERVENÇÃO DA EQUIPE DE SAÚDE NA PREVENÇÃO DAS PNEUMONIAS NOSOCOMIAIS
0690
A VISÂO DOS ALUNOS PROFAE SOBRE A QUALIDADE DA EXECUÇÃO DOS CURSOS NO ESTADO DE SERGIPE (ESTUDO PRELIMINAR)
1849
A VISÃO DE UM GRUPO DE TRABALHADORAS DA REDE BÁSICA DE SAÚDE SOBRE GÊNERO E TRABALHO
1086
A VISÃO DO ENFERMEIRO COM RELAÇÃO ÀS MUDANÇAS DO PERFIL SOCIAL E ECONÔMICO, DENTRO DO ENVELHECIMENTO HUMANO.
2136
A VISÃO DO ENFERMEIRO NA CONSULTA DE ENFERMAGEM EM REDE BÁSICA DE SAÚDE.
0818
A VISÃO DO PROFESSOR NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM ON-LINE
2254
A VISÃO DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE SOBRE OS VALORES ÉTICOS DA EUTANÁSIA EM SERES HUMANOS
0901
A VISITA DE FAMILIARES COMO TERAPÊUTICA NO PROCESSO DE ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM
1073
A(O) ENFERMEIRA(O) E A ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: UM OLHAR SOBRE SUA PRÁTICA
1211
ABORDAGEM À MULHER CLIMATÉRICA NO NÍVEL DA ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE: UMA EXPERIÊNCIA ACADÊMICA RELEVANTE.
1183
ABORDAGEM DE VIOLÊNCIA PARA ADOLESCENTES – UM RELATO DE EXPERIÊNCIA
2288
ABORDAGEM DO CUIDADO NA FORMA??O DO ENFERMEIRO: DA FRAGMENTA??O DO ENSINO ? FRAGMENTA??O DO ATO DE CUIDAR
0312
ABORDAGEM SOCIOAMBIENTAL NO TRABALHO DA ENFERMAGEM EM SAÚDE COLETIVA PELO INSTRUMENTAL DA MODELAGEM DA PROGRAMAÇÃO EM SAÚDE
1578
ABORTO NA ADOLESCÊNCIA: POR QUÊ?
0570
ABSENTEÍSMO POR DOENÇA: A ENFERMAGEM COMO AGENTE INVESTIGADOR.
2059
ABSENTEÍSMO X (IN)SATISFAÇÃO NA EQUIPE DE ENFERMAGEM DA CLÍNICA MÉDICA DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CASSIANO ANTÔNIO MORAES (HUCAM)
1125
ABSENTEÍSMO-DOENÇA ENTRE TRABALHADORES DE UM HOSPITAL DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA DE BELO HORIZONTE
1688
ACADÊMICA DE ENFERMAGEM: COMO VAI A SUA SAÚDE?
1561
ACIDENTE COM MATERIAL BIOLÓGICO EM CENTRO DE MATERIAL E ESTERILIZAÇÃO COM INDICAÇÃO DE ANTI-RETROVIRAIS – PERFIL E ACOMPANHAMENTO
1612
ACIDENTE COM MATERIAL BIOLÓGICO EM CENTRO DE MATERIAL E ESTERILIZAÇÃO COM INDICAÇÃO DE ANTIRETROVIRAIS – PERFIL E ACOMPANHAMENTOSUELEN GOMES MALAQUIAS
1986
ACIDENTE COM MATERIAL BIOLÓGICO ENTRE TRABALHADORES DE EXPURGO EM CENTRO DE MATERIAL E ESTERILIZAÇÃO: ADESÃO ÀS MEDIDAS PÓS-EXPOSIÇÃO
1515
ACIDENTE DO TRABALHO: ADESÃO À QUIMIOPROFILAXIA DOS TRABALHADORES DA SAÚDE PÓS-EXPOSIÇÃO A FLUIDOS CORPÓREOS
1176
ACIDENTES DE TRABALHO ENTRE ADOLESCENTES TRABALHADORES: UMA REALIDADE BRASILEIRA ( )
0397
ACIDENTES DE TRABALHO: UM OLHAR PARA UMA UNIDADE DE EMERGÊNCIA.
0409
ACOLHIMENTO E ATENÇÃO DA ENFERMAGEM À CRIANÇA EM SITUAÇÃO DE RISCO: EXPERIÊNCIA EM PROJETO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA
2042
ACOLHIMENTO E ATENÇÃO DE ENFERMAGEM À CRIANÇA E ADOLESCENTE EM SITUAÇÃO DE RISCO: EXPERIÊNCIA EM PROJETO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA
0532
ACOMPANHAMENTO DE ENFERMAGEM ÀS CRIANÇAS NO PERÍODO NEONATAL COM VISITAS DOMICILIARES EM UNIDADES DO PSF, NO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA – PR
1824
ACREDITAÇÃO HOSPITALAR: CONSTRUÇÃO DE UMA PROPOSTA ORGANIZATIVA DAS AÇÕES DE ENFERMAGEM NO PRONTO SOCORRO DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO
1893
AÇÃO NA SAÚDE DA UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA- USS
0202
AÇÔES DE ENFERMAGEM CONTRIBUINDO PARA O RESGATE DA VALORIZAÇÃO DO AUXILIAR DE ENFERMAGEM DA CLÍNICA MÉDICA
1566
AÇÕES DE CONTROLE DA HANSENÍASE: ESTUDO DE CASO NO MUNICÍPIO DE FEIRA DE SANTANA
1823
AÇÕES DE ENFERMAGEM AO ADOLESCENTE
1185
AÇÕES DE ENFERMAGEM EM SAÚDE MENTAL-REVISÃO BIBLIOGRÁFICA
1766
AÇÕES DE ENFERMAGEM NA UNIDADE DE TRANSTORNOS DE HUMOR
1270
AÇÕES DE ENFERMAGEM NO CAMPO DA MEDICINA NUCLEAR: TEORIA E PRÁTICA
1105
AÇÕES DE ENFERMAGEM PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE INFANTIL: EDUCAÇÃO PARA A PREVENÇÃO DE ACIDENTES
0961
AÇÕES DE PROMOÇÃO E PREVENÇÃO EM SAÚDE DO TRABALHADOR: A ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO
2315
AÇÕES DE SAÚDE NA PREVENÇÃO DA REINCIDÊNCIA DA GRAVIDEZ EM ADOLESCENTES
0277
AÇÕES EDUCATIVAS E ASSISTENCIAIS PARA ADULTOS E IDOSOS PORTADORES DE DOENÇAS CRÔNICAS DEGENERATIVAS EM CLÍNICA ESCOLA: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA.
1077
AÇÕES/INSTRUMENTOS DO ENFERMEIRO FRENTE A PREVENÇÃO E REABILITAÇÃO1NA NEUROPATIA DIABÉTICA E SUAS COMPLICAÇÕESUMA REVISÃO NA BIBLIOGRAFIA
1793
ADESÃO AO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA – A VISÃO DA EQUIPE E DA COMUNIDADE
0482
ADESÃO DOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM ÀS PRECAUÇÕES PADRÃO EM UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA
1912
ADESÃO E CREDIBILIDADE SOCIAL DA VACINAÇÃOCONTRA INFLUENZA ENTRE IDOSOS
2280
ADMINISTRAÇÃO DO TEMPO NO COTIDIANO DA ENFERMEIRA: UM DESAFIO PARA A APLICAÇÃO DA SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM - SAE
1933
ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO EM SERVIÇOS DE SAÚDE: CONCEPÇÃO DE GRADUANDOS DE ENFERMAGEM SOBRE A DISCIPLINA
1933
ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO EM SERVIÇOS DE SAÚDE:CONCEPÇÃO DE GRADUANDOS DE ENFERMAGEM SOBRE A DISCIPLINA
0059
ADOLESCENTE PAI PRECOCEMENTE – O QUE MUDA?
0846
ADOLESCENTE, FAMILIA E ESCOLA : NUCLEO DE TODAS AS POSSIBILIDADES
0712
ADOLESCENTE: MAGRO OU GORDO EIS A QUESTÃO!
1103
ADOLESCENTES E EDUCADORES EM MEIO À SEXUALIDADE: UMA PROPOSTA EDUCATIVA NA REALIDADE DO PSF
1979
ADOLESCENTES USUÁRIOS DE DROGAS: RAZÕES PARA O PRIMEIRO USO E EXPECTATIVAS APÓS O TRATAMENTO.
2150
ADOLESCER
0929
ADOLESCER E TRABALHAR: IDENTIFICANDO SITUAÇÕES QUE COMPROMETEM A QUALIDADE DE VIDA DO ADOLESCENTE
1505
ADOLESCÊNCIA X GRAVIDEZ: UM PROBLEMA DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE
1062
ADOLESCÊNCIA: O QUE A ENFERMAGEM PRODUZIU E APRESENTOU NO 54ºCONGRESSO BRASILEIRO DE ENFERMAGEM (CBEN), ACERCA DO ASSUNTO?
0367
AFETIVIDADE E SEXUALIDADE NA ADOLESCENCIA – A EXPERIÊNCIA DA CONSTRUÇÃO DE UMA OFICINA
1257
AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE: RETRATO DE UMA COMPETÊNCIANOTA PRÉVIA
1286
AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE NO PALCO: CONSTRUINDO CAMINHOS EDUCATIVOS NA VILA TORRES
0565
AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE: A BUSCA PELA CONFIANÇA E RECONHECIMENTO
1101
AIDPI COMUNITÁRIO, FERRAMENTA DE VOLUNTÁRIAS PARA PROMOÇÃO DA SAÚDE.
0833
AIDS E DOENÇAS OPORTUNISTAS: ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM
0140
AIDS E PREVENÇÃO: O PROCESSO DE CONSCIENTIZAÇÃO DOS JOVENS
1434
AINDA EM CENA O HOSPITAL PSIQUIÁTRICO: O ENFERMEIRO, SUAS DIFICULDADES E REPRESENTAÇÕES DE MUDANÇAS NA ASSISTÊNCIA
0383
ALCOOLISMO E COMPORTAMENTO.
0384
ALCOOLISMO E COMPORTAMENTO.
2114
ALEITAMENTO MATERNO EXCLUSIVO: ACOMPANHAMENTO DA PRÁTICA DURANTE O ALOJAMENTO CONJUNTO
2228
ALEITAMENTO MATERNO: DA TEORIA DA ORIENTAÇÃO PARA A PRÁTICA DA AMAMENTAÇÃO
2313
ALEITAMENTO MATERNO: FATORES QUE LEVAM AO DESMAME PRECOCE.
2037
ALGUNS ASPECTOS DA VITIMIZAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES: REVISÃO LITERÁRIA
1230
ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL: UM DESAFIO PARA PESSOAS DA TERCEIRA IDADE
1916
ALTERAÇÕES NO COMPORTAMENTO SEXUAL DO CASAL DURANTE O CLIMATÉRIO
0422
ALTERAÇÕES RENAIS EM PACIENTES COM NEOPLASIA MALIGNA
1217
AMAMENTAÇÃO MATERNA: UMA PROPOSTA ASSISTENCIAL DIRECIONADA AO SER-PUÉRPERA-ADOLESCENTE E SUA FAMÍLIA, À LUZ DA TEORIA DO AUTOCUIDADO DE DOROTHEA OREM
0735
AMAMENTAÇÃO: CONFLITO E HARMONIA NO ESPAÇO INTERATIVO ENFERMEIRA, PUÉRPERA E SUA FAMÍLIA
1216
AMPLIAÇÃO VESICAL COM MITROFANOFF NA CRIANÇA PORTADORA DE BEXIGA NEUROGÊNICA NA VISÃO DAS MÃES
0357
ANÁLISE CRÍTICA DA CAMPANHA ANTIFUMO VEICULADA ATRAVÉS DO VERSO DAS CATEIRAS DE CIGARRO.
2229
ANÁLISE CRÍTICA DO PROCESSO EVOLUTIVO DA ENFERMAGEM MODERNA.
1407
ANÁLISE DA COBERTURA DAS FONTES DE INFORMAÇÃO SOBRE VÍTIMAS DE ACIDENTES DE TRÂNSITO EM MARINGÁ-PR
2151
ANÁLISE DA FALA DE CASAIS VIVENCIANDO A HANSENÍASE: UM OLHAR ACERCA DO CONTEXTO AFETIVO-SEXUAL
1166
ANÁLISE DA OPERAÇÃO DE NOVOS DISPOSITIVOS DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL - CAPS NA PERSPECTIVA DA PROMOÇAO EM SAÚDE
1041
ANÁLISE DA PRÁTICA DA REDE DE PROTEÇÃO NO DISTRITO SANITÁRIO DO PORTÃO
0117
ANÁLISE DA PRODUÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS SOBRE A ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE PORTADOR DE AIDS.
0994
ANÁLISE DA REAÇÃO HANSÊNICA ENTRE PACIENTES COM ESQUEMA DE 12 E 24 DOSES DE QUIMIOTERÁPICO NO DISTRITO FEDERAL (1999-2003)
1867
ANÁLISE DA REAÇÃO HANSÊNICA ENTRE PACIENTES COM ESQUEMA DE 12 E 24 DOSES DE QUIMIOTERÁPICO NO DISTRITO FEDERAL (1999-2003)
0944
ANÁLISE DA REALIZAÇÃO DO TESTE DO PEZINHO EM UMA SECRETARIA EXECUTIVA REGIONAL
2144
ANÁLISE DA SITUAÇÃO VACINAL DOS ALUNOS-TRABALHADORES DE ENFERMAGEM DE UMA ESCOLA PÚBLICA EM NATAL/RN
0853
ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DO SILICONE COMO CURATIVO EM FERIDAS DE 3ª INTENÇÃO EM PORTADORES DE VASCULOPATIAS – UM ESTUDO DE CASO
0572
ANÁLISE DA VULNERABILIDADE E PERCEPÇÃO DE RISCO DA INFECÇÃO HIV EM GESTANTES
0671
ANÁLISE DE PROCEDIMENTOS ASSISTENCIAIS REALIZADOS PELO ENFERMEIRO EM UNIDADE DE INTERNAÇÃO PEDIÁTRICA: UMA CONTRIBUIÇÃO AOS ESTUDOS DE PLANEJAMENTO DE RECURSOS HUMANOS EM ENFERMAGEM
0359
ANÁLISE DE VARIÁVEIS INFLUENTES NA REALIZAÇÃO DA MAMOGRAFIA
1862
ANÁLISE DO CURSO DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL DE AUXILIAR DE ENFERMAGEM NO PROFAE/FUNECE
1402
ANÁLISE DO DESENVOLVIMENTO DE UM SERVIÇO DE AUDITORIA EM UM HOSPITAL GERAL DE SALVADOR.
0214
ANÁLISE DO PERFIL E DEMANDAS DE CUIDADO EM DOMICÍLIO DE UMA UNIDADE DE ATENÇÃO AO IDOSO
2175
ANÁLISE DO PERFIL E SATISFAÇÃO DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE ATUANTES NO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA
0663
ANÁLISE DO SISTEMA DE MEDICAÇÃO E IDENTIFICAÇÃO DE SUAS FALHAS: UMA CONTRIBUIÇÃO PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DA ASSISTÊNCIA E AUMENTO NA SEGURANÇA DO PACIENTE
0311
ANÁLISE DOS PRINCÍPIOS DE GESTÃO DE PESSOAS COMO INDICADORES DE QUALIDADE DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM
2099
ANÁLISE SITUACIONAL E FUNCIONAL DE UMA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE EM PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO
1047
ANÁLISE SOBRE INTERCORRENCIAS NO PROCESSO DE VIVER FAMILIAR ATRAVES DA UTILIZAÇÃO DO RECURSO CINEMATOGRÁFICO – UM RELATO DE EXPERIÊNCIA
1825
ANEMIA FALCIFORME UM DESAFIO PARA A ENFERMAGEM
1592
ANNA GRIJÓ NA DIREÇÃO DA ESCOLA DE ENFERMAGEM ALFREDO
1881
ANOTAÇÕES DO ENFERMEIRO NO ACOMPANHAMENTO DO CRESCIMENTO E DESNVOLVIMENTO INFANTIL: UM ESTUDO COMPREENSIVO
2113
ANOXIA, A ANGÚSTIA DO RECEM NASCIDO
1774
APLICABILIDADE DA SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NAS PRÁTICAS CURRICULARES SUPERVISIONADAS
2256
APLICABILIDADE DE INDICADORES DE ENFERMAGEM NA GERÊNCIA EM TERAPIA INTENSIVA
0969
APLICAÇÃO DA TEORIA DE OREM NO PROCESSO DE ENFERMAGEM A UMA CLIENTE COM CÂNCER DE COLO DE ÚTERO RECIDIVADO SUBMETIDA A EXENTERAÇÃO PÉLVICA: RELATO DE CASO
1932
APLICAÇÃO DO MODELO ANDRAGÓGICO NA EDUCAÇÃO DE PESSOAS DIABÉTICAS: RESULTADOS PRELIMINARES.
1751
APLICAÇÃO E CONTROLE DO PROTOCOLO DE INSULINOTERAPIA VENOSA PELA ENFERMAGEM NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DO HOSPITAL BARRA D’OR
0115
APLICAÇÃO TÓPICA DE PAPAYA IN NATURA NO CUIDAR/CUIDADO DE FERIDAS CUTÂNEAS DESVITALIZADAS DE DIFÍCIL CICATRIZAÇÃO
0674
APREENDENDO POSSIBILIDADES DE CUIDAR
0706
APRENDENDO A CONVIVER COM O ESTRESSE UMA EXPERIÊNCIA DE GRUPO SUPORTE
1227
APRENDENDO A CUIDAR – A SENSIBILIDADE COMO ELEMENTO PLASMÁTICO PARA FORMAÇÃO DA PROFISSIONAL CRÍTICA-CRIATIVA EM ENFERMAGEM
2141
APRESENTAÇÃO DE DADOS ESTATÍSTICOS DE DST NA ADOLESCÊNCIA EM UM POSTO DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE MARACANAÚ-CEARÁ
0015
APRESENTAÇÃO DO PROJETO DE PROFISSIONALIZAÇÃO DOS TRABALHADORES DA ÁREA DE ENFERMAGEM – PROFAE-PI NO ENSINO DO PIAUÍ: ACOMPANHAR PARA MELHORAR
0799
APRESENTAÇÃO DO SERVIÇO DE TRIAGEM INTRA- HOSPITALAR NA EMERGÊNCIA DO HOSPITAL MÃE DE DEUS.
0714
APRESENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DE UM SOFTWARE EDUCATIVO SOBRE SEXUALIDADE PARA ADOLESCENTES.
2179
APROPRIAÇÃO EM CONTA/CLIENTE NUMA UNIDADE DE INTERNAÇÃO DA IRMANDADE SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE CURITIBA
1269
AQUISIÇÃO, CONSUMO E PRESENÇA DE MEDICAMENTOS EM DOMICÍLIOS DE PESSOAS INTOXICADAS, MARINGÁ (PR), 2002-2003
0236
ARRUMAÇÃO DO LEITO: PROCEDIMENTO DE ENFERMAGEM
0363
ARTE DE BRINCAR- PROPOSTA DE UMA TERAPIA ALTERNATIVA NA REDUÇÃO DO ESTRESSE DA CRIANÇA HOSPITALIZADA.
0470
ARTE DE BRINCAR- PROPOSTA DE UMA TERAPIA ALTERNATIVA NA REDUÇÃO DO ESTRESSE DA CRIANÇA HOSPITALIZADA.
0607
ARTE E CULTURA POPULAR COMO INSTRUMENTO NO PROCESSO DE ENSINO- APRENDIZAGEM: RELATO DE EXPERIÊNCIA.
2184
ARTE E EDUCAÇÃO – UM MODO DE FAZER ENFERMAGEM
1261
ARTICULANDO O SABER NIGHTINGALIANO E O CUIDAR DA ENFERMEIRA NO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA
0303
ARTROPLASTIA TOTAL DE QUADRIL EM PACIENTE COM TUBERCULOSE ÓSSEA
0582
AS AÇÕES DE PROFILAXIA NA TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV EM MATERNIDADES DE REFERÊNCIA DO RIO DE JANEIRO
1387
AS AÇÕES DE SAÚDE NO PROGRAMA UNIVERSIDADE SOLIDÁRIA
2031
AS ATRIBUIÇÕES DO PROFISSIONAL ENFERMEIRO NO SISTEMA DE ALOJAMENTO CONJUNTO
1249
AS COMPETÊNCIAS NECESSARIAS REQUERIDAS AO ENFERMEIRO PARA ATUAÇÃO NO AMBIENTE DE ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITAR DE EMERGÊNCIA
1931
AS CONCEPÇÕES DE FAMILIARES AO DESCOBRIREM O DIAGNÓSTICO DE CÂNCER EM UM ENTE QUERIDO
2077
AS CONQUISTAS DA ENFERMAGEM ATRAVÉS DO TRABALHO EM GRUPO NO CENTRO CIRÚRGICO
1605
AS CRIANÇAS COM DISTÚRBIOS NEUROMUSCULARES DE UM HOSPITAL DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO: AVALIANDO UM QUESTIONÁRIO UTILIZADO NA CONSULTA DE ENFERMAGEM.
0680
AS DIFICULDADES DO ENSINO DO DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM NA FORMAÇÃO PROFISSIONAL
2087
AS DIFICULDADES DO MONITOR E SUAS RELAÇÕES INTER-PESSOAIS NO PROGRAMA DE MONITORIA ACADÊMICA DA UERJ.
1117
AS DINÂMICAS DE GRUPO NO COTIDIANO DOS ENFERMEIROS
2322
AS EXPECTATIVAS DOS DOENTES RENAIS CRÔNICOS EM RELAÇÃO AO TRATAMENTO HEMODIALÍTICO
0705
AS FORMAS DE PARTICIPAÇÃO E CONTROLE SOCIAL NA LOCALIDADE DO ALTO SIMÃO-RJ
1246
AS INTERFACES DAS POLÍTICAS PÚBLICAS E ASSISTÊNCIA PARA MÃES E CRIANÇAS, NA PERSPECTIVA DA AMAMENTAÇÃO E DA AIDS
0925
AS INTERFACES DAS RELAÇÃO ENTRE O FAMILIAR E O CLIENTE COM TRANSTORNO MENTAL
1679
AS INTERFACES DO CONCEITO DE CUIDADO DE ENFERMAGEM: CIÊNCIA E HUMANIZAÇÃO
1562
AS INTERFACES DO CUIDADO NO COTIDIANO DA ENFERMAGEM
1382
AS INTERFACES EDUCATIVAS E ASSISTENCIAIS DO PROJETO RONDON COM OS ESTÁGIOS EXTRACURRICULARES REMUNERADOS EM ENFERMAGEM NA ATUALIDADE
0254
AS MODIFICAÇÕES DO ESTILO DE VIDA PARA HIPERTENSOS CONFORME A IV DIRETRIZES BRASILEIRAS DE HIPERTENSÃO ARTERIAL: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA
1560
AS NECESSIDADES DAS PESSOAS INTERNADAS PELA PRIMEIRA VEZ NA EMERGÊNCIA PSIQUIÁTRICA
1301
AS NECESSIDADES DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE DOS SURDOS NUMA PERSPECTIVA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE
0352
AS NECESSIDADES NÃO FÍSICAS DO CLIENTE EM INVESTIGAÇÃO DIAGNÓSTICA NA UNIDADE DE DOR TORÁCICA: SUBSÍDIOS PARA CUIDAR NA SALA DE EMERGÊNCIA
1090
AS NOTÍCIAS NO JORNAL DO COMMERCIO SOBRE A ESCOLA PROFISSIONAL DE ENFERMEIROS E ENFERMEIRAS (1911-1920).
0538
AS NOTÍCIAS NO JORNAL DO COMMERCIO SOBRE A ESCOLA PROFISSIONAL DE ENFERMEIROS E ENFERMEIRAS (1911-1920).
0517
AS ORIENTAÇÕES DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE AOS PORTADORES DE DOENÇAS CARDIOVASCULARES: QUAL A REPERCUSSÃO ?
1877
AS PARTEIRAS E O CUIDADO AO NASCIMENTO: RESGATE HISTÓRICO EM TRÊS MUNICÍPIOS DO VALE DO RIO TAQUARI, RS
0406
AS PRÁTICAS DE AUTOCUIDADO DE IDOSOS PORTADORES DE ÚLCERA DE ESTASE
1342
AS PRÁTICAS DE ENFERMAGEM SOB UM OLHAR DE GÊNERO
1678
AS RELAÇÕES DE PODER NAS PRÁTICAS DE SAÚDE: REFLEXÕES E CONSIDERAÇÕES À LUZ DO PENSAMENTO FOUCAULTIANO
1963
AS RELAÇÕES ÉTICAS QUE PERMEIAM A CONDUTA DO PROFISSIONAL ENFERMEIRO FRENTE A SITUAÇÕES EM QUE O CLIENTE RECUSA O TRATAMENTO ESTABELECIDO.
1192
AS REPERCUSSÕES DO HOSPITALOCENTRISMO NO DISCURSO DOS ESTUDANTES DE ENFERMAGEM: UM ESTUDO SOBRE OS MODOS DE SE PENSAR A PROFISSÃO
0412
AS REPERCUSSÕES DO PROCESSO DE TRABALHO NA SAÚDE DAS TRABALHADORAS DA REDE PÚBLICA DE SAÚDE.
1827
AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA AVALIAÇÃO ORAL
1798
AS TRANSFORMAÇÕES NA PSIQUIATRIA VISANDO O PAPEL DA EQUIPE DE SAUDE: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA
1099
AS TRANSFORMAÇÕES NOS PROCESSOS DE TRABALHO DE GERENCIAMENTO EM SAÚDE FRENTE AO SUS: VISUALIZANDO AÇÕES ATRAVÉS DA CONSTRUÇÃO DE COMPETÊNCIAS NO ENSINO DE ADMINISTRAÇÃO EM ENFERMAGEM NAS ESCOLAS DE ENFERMAGEM DO BRASIL
1353
AS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE NA PERSPECTIVA DE ADOLESCENTES ESCOLARES DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO/RJ
2266
AS “APERFEIÇOADORAS DA RAÇA”: AS ENFERMEIRAS BRASILEIRAS E O IDEÁRIO EUGÊNICO.
1002
ASPECTOS BIOPSICOSSOCIAIS DE PESSOAS AMPUTADAS POR DOENÇAS VASCULARES OU POR TRAUMA
1138
ASPECTOS CULTURAIS: UMA BARREIRA ENTRE OS SUJEITOS DO CUIDADO DE ENFERMAGEM
1361
ASPECTOS DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL NA ESCOLA DE ENFERMAGEM ALFREDO PINTO/ EEAP (1943 A 1946)
1553
ASPECTOS DA SEXUALIDADE NA ADOLESCÊNCIA
0737
ASPECTOS DO MANEJO DA TERAPIA DE COMPRESSÃO MULTICAMADAS: ESTUDO DE CASO.
0562
ASPECTOS EMOCIONAIS QUE INTERFEREM NO PROCESSO SAUDE DOENÇA DO HIPERTENSO IDOSO.
1140
ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS DAS AFECÇÕES GINECOLÓGICAS NO MUNICÍPIO DE JEQUIÉ-BA.
0237
ASPECTOS ÉTICOS DA IMOBILIZAÇÃO PEDIÁTRICA REALIZADA PELA EQUIPE DE ENFERMAGEM (A CRÍTICA REFLEXIVA DESAFIANDO O REPRODUTIVISMO)
1680
ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS SOBRE DROGAS E ENTORPECENTES: UMA PROPOSTA METODOLÓGICA UTILIZADA POR UM GRUPO DE ALUNAS DE ENFERMAGEM
1681
ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS SOBRE DROGAS E ENTORPECENTES: UMA REFLEXÃO TEÓRIC
1357
ASPECTOS PSICOLÓGICOS NO ENVELHECIMENTO DO SER IDOSO
1585
ASPECTOS RELACIONADOS À HOMOSSEXUALIDADE: NA PERCEPÇÃO DE QUEM VIVENVIA A SITUAÇÃO
1280
ASSESSMENT E PROCESSO DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM FUNDAMENTADO NA TEORIA DO DÉFICIT DE AUTOCUIDADO DE DOROTHEA OREM – APLICABILIDADE EM PACIENTES SUBMETIDOS AO CATETERISMO CARDÍACO
2112
ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM A UM PORTADOR DE ASBESTOSE:ESTUDO DE CASO
1291
ASSISTÊNCIA AMBULATORIAL À MULHER HIV POSITIVA NO CICLO GRAVÍDICO-PUERPERAL: UMA EXPERIÊNCIA DE EDUCAÇÃO PARA PROFISSIONAIS DE NÍVEL MÉDIO DE ENFERMAGEM.
1238
ASSISTÊNCIA À CRIANÇA: O DISCURSO DAS ENFERMEIRAS (1970 – 1979)
0030
ASSISTÊNCIA À FAMÍLIA GRÁVIDA, COM ENFOQUE NA PARTICIPAÇÃO DO PAI COMO CUIDADOR.
0971
ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOMICILIAR: TENDÊNCIAS E PERSPECTIVAS PARA A ATUAÇÃO PROFISSIONAL DE ENFERMAGEMSAMANTHA REIKDAL OLINISKI
1159
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM A CRIANÇA PORTADORA DE HIPOTIREOIDISMO CONGÊNITO: RELATO DE EXPERIÊNCIA
0076
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM A PORTADORES HIV/AIDS
0086
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE ACOMETIDO POR QUEIMADURAS
1950
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE COM ANEURISMA CEREBRAL
2247
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE COM INFECÇÃO URINÁRIA: RELATO DE UM ESTUDO CLÍNICO
1837
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE PORTADOR DE LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO
1480
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM À CRIANÇA: ESPECIFICIDADES DO CENÁRIO HOSPITALAR (1971-1979)
0013
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM À SAÚDE DA CRIANÇA: CONSTRUINDO ESTRATÉGIAS PARA ATUAR NOS FATORES DE RISCO À DESNUTRIÇÃO, VISANDO A PREVENÇÃO E/OU RECUPERAÇÃO DA SAÚDE INFANTIL
1393
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM DOMICILIÁRIA E PROMOÇÃO DO AUTOCUIDADO AOS PORTADORES DE ÚLCERAS NEUROTRÓFICAS E VENOSAS TRATADOS EM UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE
1935
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM CENTRO OBSTÉTRICO: QUAL A REALIDADE DOS NOSSOS ENFERMEIROS?
1263
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM HOSPITAL PENITENCIÁRIO
1510
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM PRÉ-NATAL:UM ESTUDOBIBLIOGRÁFICO A RESPEITO DAS ATRIBUIÇÕES DO ENFERMEIRO
1525
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NA EVOLUÇÃO DO TRANSPLANTE DE MEDULA ÓSSEA
1604
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO PÓS-OPERATÓRIO IMEDIATO AO PACIENTE SUBMETIDO A PNEUMECTOMIA E LOBECTOMIA PULMONAR
1074
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO PRÉ-OPERATÓRIO DE CIRURGIA BARIÁTRICA
1904
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO TRABALHO DE PARTO PREMATURO, FUNDAMENTADO NA TEORIA DA ADAPTAÇÃO DE CALISTA ROY
0698
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM PERSONALIZADA NO TRANSOPERATÓRIO DE CIRURGIA BARIÁTRICA: RELATO DE EXPERIÊNCIA
0499
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM X NUTRICÃO DE CLIENTES HOSPITALIZADOS
0424
ASSISTÊNCIA DE ENFERMGEM NO PERÍODO PÓS-OEPRTÓRIO DE CIRURGIA CARDÍACA – BUSCANDO UMA MELHOR QUALIDADE DE VIDA PARA OS ENVOLVIDOS NO PROCESSO.
0271
ASSISTÊNCIA DOMICILIAR DE ENFERMAGEM À PACIENTE VÍTIMA DE LESÃO MEDULAR COMPLETA
1750
ASSISTÊNCIA DOMICILIAR: O CUIDADOR COMO FOCO DO CUIDADO
0699
ASSISTÊNCIA INOVADORA A PACIENTE COM OBESIDADE MÓRBIDA SUBMETIDO À CIRURGIA BARIÁTRICA: RELATO DE EXPERIÊNCIA
1392
ASSISTÊNCIA PRESTADA AO IDOSO PELO PSF NA VISÃO DO PRÓPRIO IDOSO
0825
ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL: I- AVALIANDO A COBERTURA, PRECOCIDADE, PERIODICIDADE E A PARTICIPAÇÃO DA ENFERMEIRA.
0826
ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL: II- A INFLUÊNCIA QUANTO AO TIPO DE PARTO
0639
ASSITÊNCA DE ENFERMAGEM A FAMÍLIAS: UM ATENDIMENTO INTEGRAL AO CLIENTE CRÍTICO
1952
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENFERMAGEM-REGIONAL RIBEIRÃO PRETO CONSTRUINDO O SABER CIENTÍFICO E SOCIAL DA ENFERMAGEM
1161
ASSOCIAÇÃO DOS USUÁRIOS DO NAPS-PONTA DO CORAL: DESVELANDO SUA SIGNIFICAÇÃO
1652
ATENÇÃO À SAUDE DO ADOLESCENTE - SOB A ÓTICA DA CONSULTA DA ENFERMAGEM
0806
ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE
1885
ATENÇÃO À SAÚDE DA MULHER INDÍGENA DURANTE O PERÍODO PRÉ-NATAL: RESERVA INDÍGENA DE DOURADOS, MATO GROSSO DO SUL - BRASIL
1885
ATENÇÃO À SAÚDE DA MULHER INDÍGENA DURANTE O PERÍODO PRÉ-NATAL: RESERVA INDÍGENA DE DOURADOS, MATO GROSSO DO SUL – BRASIL
0490
ATENÇÃO À SAÚDE DO ADOLESCENTE – SOB A ÓTICA DA CONSULTA DE ENFERMAGEM
1667
ATENÇÃO À SAÚDE MENTAL NO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA
2028
ATENÇÃO BÀSICA À SAÚDE DA MULHER - CONFLITOS E DESAFIOS NA CAPACITAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE
0618
ATENÇÃO DOMICILIAR AOS PACIENTES DO PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE CASOS DA GEAP DE BLUMENAU: REFLEXÕES SOBRE O PAPEL DA EQUIPE INTERDISCIPLINAR.
0594
ATENÇÃO DOMICILIAR: UMA EXPERÊNCIA DE ENSINO DA ENFERMAGEM
0025
ATENDIMENTO DE ENFERMAGEM EM SITUAÇÕES DE CRISE: APRESENTANDO RESULTADOS DA EXPERIÊNCIA DE DOIS ANOS
1591
ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR À VÍTIMA DE TRAUMA REALIZADO PELO CORPO DE BOMBEIROS DE DOURADOS-MS
1609
ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR: APRENDENDO A PROBLEMATIZAR POR MEIO DA SIMULAÇÃO
2316
ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR: ATRIBUIÇÃO E RESPONSABILIDADE DE QUEM? UMA REFLEXÃO CRÍTICA A PARTIR DO SERVIÇO DO CORPO DE BOMBEIROS E DAS POLÍTICAS DE SAÚDE “PARA” O BRASIL
2326
ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR: ATRIBUIÇÃO E RESPONSABILIDADE DE QUEM? UMA REFLEXÃO CRÍTICA A PARTIR DO SERVIÇO DO CORPO DE BOMBEIROS E DAS POLÍTICAS DE SAÚDE “PARA” O BRASIL
0865
ATIVIDADE CURRICULAR INTEGRADA COMO ESTRATÉGIA DE INTERDISCIPLINARIDADE
1226
ATIVIDADE DE LAZER – UMA PRÁTICA NA VIDA DE ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM
0721
ATIVIDADE EDUCATIVA DO ENFERMEIRO À MULHER CLIMATÉRICA: DIFICULDADES ENCONTRADAS NA BUSCA BIBLIOGRÁFICA EM BANCO DE DADOS ON-LINE.
1813
ATIVIDADE FÍSICA CONTRIBUINDO PARA A PROMOÇÃO DE SAÚDE DO IDOSO
1324
ATIVIDADE FÍSICA E HIPERTENSÃO ARTERIAL ENTRE SUJEITOS QUE PARTICIPAM DO GRUPO DE EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE
1287
ATIVIDADE MULTIPROFISSIONAL NA PROMOÇÃO DA SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA EM PACIENTES DA TERCEIRA IDADE PORTADORES DE DOENÇAS CRÔNICAS
0394
ATIVIDADE MULTIPROFISSIONAL NA PROMOÇÃO DA SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA EM PACIENTES DA TERCEIRA IDADE PORTADORES DE DOENÇAS CRÔNICAS
1500
ATIVIDADES EDUCATIVAS X PROFISSIONAIS DAS EQUIPES DOS PROGRAMAS DE SAÚDE DA FAMÍLIA DE SANTA MARIA DE JETIBÁ
0128
ATORES E PRÁTICAS NA FORMAÇÃO DO ENFERMEIRO: AVALIAÇÃO EM PERSPECTIVA PARTICIPATIVA
2055
ATRIBUIÇÕES DO AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE: VISÃO DOS USUÁRIOS
0885
ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM NAS AÇÕES DE SAÚDE PÚBLICA EM ÁREA INDÍGENA, CORAGEM DE EXPERIMENTAR: RELATO DE EXPERIÊNCIA.
0530
ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM NO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À MULHER VÍTIMA DE VIOLÊNCIA SEXUAL E ABORTO PREVISTO EM LEI.
0008
ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO EM SAÚDE INDÍGENA
0246
ATUAÇÃO DOS ALUNOS DE ENFERMAGEM DA FACULDADE DE MEDICINA DO ABC NA PROMOÇÃO DA SAÚDE ESCOLAR NUMA COMUNIDADE DE BAIXA RENDA
0078
AUDITORIA DO MÉTODO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM
0992
AUDITORIA EM ENFERMAGEM -REVISÃO DE LITERATURA
0672
AUDITORIA INTERNA DE ENFERMAGEM: UM OUTRO OLHAR
1817
AUMENTO DA JORNADA DE TRABALHO E O COTIDIANO DOS TRABALHADORES DE ENFERMAGEM: PORQUE TECEMOS ESSA TRAMA?
1421
AUTOCONHECIMENTO COMO ESTRATÉGIA DE GERENCIAMENTO EM ENFERMAGEM.
1346
AUTOCUIDADO COM O PÉ DIABÉTICO ATRAVÉS DA TÉCNICA DE LAVA-PÉS
2011
AUTONOMIA DE INTERVENÇÃO DO ENFERMEIRO DIANTE DAS ALTERAÇÕES DOS PARÂMETROS DA MONITORIZAÇÃO HEMODINÂMICA INVASIVA.
1364
AVALIAÇÃO DA ASSISTÊNCIA PRESTADA À MULHER COM EXAME PAPANICOLAOU CLASSE III (OU MAIS) EM UMA UNIDADE DE SAÚDE DA FAMÍLIA DO MUNICÍPIO DE MAUÁ
0974
AVALIAÇÃO DA CONSULTA DE ENFERMAGEM NO PROGRAMA DE PREVENÇÃO DO CÂNCER GINECOLÓGICO EM MUNICÍPIO DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO
1326
AVALIAÇÃO DA DOR:CONHECIMENTO CIENTÍFICO VERSUS A PRÁTICA DE ENFERMAGEM
2331
AVALIAÇÃO DA OCUPAÇÃO DOS QUARTOS DE ISOLAMENTO NO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE NOS ANOS DE 2002 E 2003
0894
AVALIAÇÃO DA PASSAGEM DE PLANTÃO EM UNIDADES DE INTERNAÇÃO, GERANDO IMPACTO NO CUSTO FIXO
1035
AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA DOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA VISUAL ATRAVÉS DAS NECESSIDADES HUMANAS BÁSICAS – TEORIA DE MASLOW
1755
AVALIAÇÃO DA SAÚDE REALIZADO ATRAVÉS DO CONHECIMENTO DA EDUCAÇÃO EM SAÚDE E DETECÇÃO DA POPULAÇÃO DE RISCO PARA HIPERTENSÃO ARTERIAL
0024
AVALIAÇÃO DA SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM -SAE- EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO
0614
AVALIAÇÃO DE RISCOS À SAÚDE DO TRABALHADOR DE ENFERMAGEM DE UMA GRANDE EMERGÊNCIA
1512
AVALIAÇÃO DE UMA CADEIRA DE BANHO UTILIZADA EM AMBIENTE HOSPITALAR: UMA ABORDAGEM ERGONÔMICA
0559
AVALIAÇÃO DE UMA CADEIRA DE RODAS UTILIZADA EM ATIVIDADES DE TRANSPORTE DE PACIENTES: UMA ABORDAGEM ERGONÔMICA
1178
AVALIAÇÃO DO ATENDIMENTO DE ENFERMAGEM NO PRÉ-NATAL NO PERÍODO DE 1997 A 2003
1828
AVALIAÇÃO DO CURSO DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM: UMA VISÃO DE DOCENTES EM FORMAÇÃOEUCLEA GOMES VALE MARIA CELSA FRANCO
0390
AVALIAÇÃO DO CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM – PROFAE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIACARMEM LÚCIA COLOMÉ BECK
2041
AVALIAÇÃO DO ENSINO DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DA CRIANÇA NA FACULDADE DE ENFERMAGEM DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CONSIDERANDO A VISÃO DOS ALUNOS: UM NOVO MODELO DE ENSINO
1552
AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL DE PACIENTES SUBMETIDOS À CIRURGIA CARDÍACA NO HOSPITAL DE BASE DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
1374
AVALIAÇÃO DO GRAU DE INCAPACIDADE EM HANSENÍASE:
1400
AVALIAÇÃO DO PERFIL DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
2198
AVALIAÇÃO DO USO DO ÁCIDO GRAXO ESSENCIAL (AGE) NO TRATAMENTO DE FERIDAS DE PACIENTES ATENDIDOS NO AMBULATÓRIO DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO EM NATAL.
0947
AVALIAÇÃO DO USO TÓPICO DA ASSOCIAÇÃO DE ÉTER ETÍLICO E AGAROL® NO TRATAMENTO DE EQUIMOSES EM PACIENTES HIV POSITIVOS
1906
AVALIAÇÃO DOS EFEITOS ORGÂNICOS RELACIONADOS À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE EXPOSTO AOS AGROTÓXICOS NO MUNICÍPIO DE PATY DO ALFERES.
0751
AVALIAÇÃO DOS GRADUANDOS DE ENFERMAGEM FRENTE A OBRIGATORIEDADE CURRICULAR DA DISICIPLINA DE SAÚDE MENTAL: MITOS, REALIDADE, COTIDIANO E EXPECTATIVAS.
2155
AVALIAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SERVIÇO DE APOIO DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO QUANTO À PREVALÊNCIA DE DOR MÚSCULO-ESQUELÉTICA
1665
AVALIAÇÃO E DIAGNÓSTICO DO PROCESSO DE REINSERÇÃO FAMILIAR E SOCIAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EGRESSOS DO CEMCA, EM RIO GRANDE/RS
1278
AVALIAÇÃO ESCOLAR: CAMINHOS PARA UMA PRÁTICA INVESTIGATIVA E REFLEXIVA
0773
AVALIAÇÃO NA ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMETOS INJETÁVEIS-PENICILINASEM QUATRO CENTROS DE SAÚDE NA CIDADE DE DOURADOS-MS
0588
AVALIAÇÃO NO COTIDIANO DO GERENCIAMENTO DA ENFERMAGEM
2079
AVALIAÇÃO NO ENSINO APRENDIZAGEM NUMA VISÃO TRANSFORMADORA – REFLEXÕES
0703
AVALIAÇÃO NUTRICIONAL E A ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO SUPORTE NUTRICIONAL
0797
AVALIANDO AS DIFICULDADES E OPORTUNIDADES NO DESENVOLVIMENTO DO PRIMEIRO PROJETO DE PESQUISA .
2327
AVALIANDO O CONHECIMENTO SOBRE HANSENÍASE EM UM GRUPO DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO DO MUNICÍPIO DE GROAÍRAS/CE
1964
AVALIANDO O PROCESSO DE TRABALHO DA EQUIPE SAÚDE DA FAMÍLIA NO CONTROLE E PREVENÇÃO DA HIPERTENSÃO ARTERIAL
0327
AVALIÇÃO DA EDUCAÇÃO INFORMAL PRESTADA AO GRUPO DE GESTANTES DO AMBULATÓRIO UNIVERSITÁRIO – FURB.
1258
AVANÇOS DA ASSISTÊNCIA AO PRÉ-NATAL COM A IMPLANTAÇÃODO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA
PESQUISA POR CATEGORIAS
BIOÉTICA
COMISSÃO DE CONTROLE DE INFECÇÃO
COMUNICAÇÃO
CUIDADO
CUIDADO AO ADOLESCENTE
CUIDADO AO ADULTO
CUIDADO AO IDOSO
CUIDADO À CRIANÇA
DOAÇÃO DE ÓRGÃOS
EDUCAÇÃO E SAÚDE
ENSINO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL
ESTERILIZAÇÃO
EXERCÍCIO PROFISSIONAL
FAMÍLIA
GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE
HISTÓRIA
INFORMAÇÃO / INFORMÁTICA / SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PESQUISA
PROJETOS
SABER POPULAR
SAÚDE COLETIVA
SAÚDE DO TRABALHADOR
SAÚDE MENTAL
SAÚDE SEXUAL E REPRODUTIVA DA MULHER
SEMIOLOGIA
SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA / PROCESSO DE ENFERMAGEM
TERAPIA
TRAUMA